Engepetrol desenvolve sistema despoluidor aquático autossustentável.

12 de Novembro de 2013

“COLETOR DE HIDROCARBONETOS E AFINS”

1 - Descrição do projeto:

Titulo:” Coletor de hidrocarbonetos e afins” , autopropulsor e ecologicamente autossustentável.
Sigla: 001-2011 Prazo de execução: 12 meses.
Área geográfica de atuação: Campos de petróleo off-shore.

Objetivo geral

Projeto e desenvolvimento de um sistema ecologicamente autossustentável destinado a coletar hidrocarbonetos e afins provenientes de vazamentos nas operações dos poços de petróleo no mar e em áreas próximas às fluviais. Além da sustentabilidade, vale citar a versatilidade almejada, de forma que o produto poderá ser aplicado em elevada gama de pontos, independentemente da localização dos poços, o que fará com que ele atue não só nas áreas de extração, mas em todas regiões cobertas pelas rotas de transporte.
Como sabemos, as atividades de exploração podem reservar surpresas desagradáveis ao custo de centenas de milhões de dólares, a exemplo do que ocorreu no Golfo do México em uma plataforma da British Petroleum, com sérios danos à natureza e ao meio ambiente.
O projeto agora proposto, fruto de experiência vivencial e suportado pelos técnicos e expectativas da Engepetrol , da Universidade e consultores do segmento de petróleo , representa uma opção eficiente, barata e de fácil operação que utiliza energia alternativa, respeita o meio ambiente e altera sobremaneira a resolutividade de outrora.

Apresentado de forma conceitual à Petrobras, foi identificado como promissora solução para os problemas decorrentes dos vazamentos em exploração “off-shore”, podendo reduzir o impacto de forma mitigadora a partir do momento da ocorrência do desastre ambiental, mesmo no estágio potencial.
A possibilidade de poder contar com os recursos da FINEP para o desenvolvimento das unidades piloto para ensaios e testes garantirá à Engepetrol uma nova perspectiva inovadora e mercadológica através de uma ferramenta útil e necessária à prevenção, correção e solução de desastres ambientais relacionados à operação de poços de petróleo em meio marítimo e em áreas próximas a leitos de rios. A importância de uma linha de pesquisa nesse sentido reside também no fato de tais desastres se apresentarem recorrentemente em tempos hodiernos e de serem indesejáveis na atualidade e no futuro.

Definição do projeto:

Trata-se de um sistema destinado a coletar o resíduo de hidrocarbonetos e afins provenientes de vazamentos e que se encontra em suspensão no mar, podendo, também, ser aplicado em áreas fluviais. O equipamento será composto por um flutuador acoplado a uma caixa coletora e separadora de fluidos interligados a um sistema de bombeamento que terá como maior diferencial a propulsão pela movimentação das ondas ou da superfície da água que escoa em leitos de rios, ou seja, sua força motriz será baseada em fonte renovável e estará alinhada à tão importante tendência de não agressão ao meio ambiente.
Como descrito anteriormente e no objetivo geral, esse sistema poderá, ainda, ser utilizado com sucesso na recuperação de hidrocarbonetos e afins em suspensão em córregos e rios, decorrentes de vazamentos em terra firme ou provenientes de derramamentos durante seu transporte. O sistema será absolutamente sustentável e recuperará hidrocarbonetos e afins de baixa e alta viscosidade.

Inovação:

Atualmente, a coleta do material proveniente de vazamentos é realizada através de bombas acionadas por motores a combustão ou elétricos. O diferencial do nosso coletor de hidrocarbonetos e afins é que o acionamento dos conjuntos de bombeamento dar-se-á pela oscilação das ondas e que, além disso, ainda possibilitará o tratamento primário desse resíduo separando, no próprio flutuador, o resíduo coletado da água.
Como descrito no objetivo geral, trata-se de um sistema de baixo custo operacional e de emprego em áreas remotas, desprovidas de energia elétrica ou geradores. Além disso, poderá ser usado com sucesso na captação dos hidrocarbonetos e afins em suspensão nos córregos e rios, decorrentes de vazamentos em terra firme. O sistema é absolutamente autossustentável e se destina a recuperar hidrocarbonetos e afins de diversas faixas de viscosidade, desde baixas até elevadas.

LEGENDA

1-Flutuador(Caixa API)
2-Bombas de cavidade progressiva.
3-Niples..
4-Válvulas de retenção.
5-Tubos de sucção.
6-Tubos de recalque.
7-Balancins.
8-Boias de captação.
9-Entrada do fluido multifásico.
10-Saída do hidrocarboneto e afins.
11-Saída da água tratada de forma primária.
12-Nível do fluido multifásico.
13-Câmara de separação água /óleo.

O sistema será composto por uma caixa separadora API em forma de flutuante e por um conjunto de bombas helicoidais de deslocamento positivo acionadas pelo efeito da excentricidade dos balancins durante a oscilação provocada pelas ondas. Ao sistema de sucção dessas bombas, interligam-se boias coletoras que captarão esse composto multifásico para, em seguida, tratá-lo na caixa separadora API, por meio da retenção do resíduo oleoso e da devolução para o meio ambiente da água tratada de forma primária. Sugere-se que o sistema fique atado às barreiras de contenção.

Impactos esperados do projeto:

Impacto do projeto no mercado: destacamos como diferencial o fato de se poder coletar hidrocarbonetos e afins provenientes de vazamentos sem a utilização de sistemas acionados por motores elétricos ou combustão. Na prática, o equipamento proposto pode ser utilizado em áreas remotas e/ou ambientalmente sensíveis, já que a propulsão se dará pelo balanço das ondas. Esse sistema poderá ser empregado para despoluir áreas off-shore contaminadas, a exemplo do que ocorreu no Golfo do México, atingido por um vazamento de petróleo em 2010 provocado pela BP (British Petroleum) na plataforma deepwater horizon. Optando-se pelo sistema em pauta, o custo e a rapidez da limpeza serão muito atrativos e de excelente custo-benefício. Vale também ressaltar o derramamento de petróleo ocorrido na Bacia de Campos em uma plataforma da Chevron, o que repercutiu negativamente, inclusive na esfera política, gerando dúvidas de como seria operacionalizada a contenção desse tipo de resíduo caso houvesse situação similar durante a exploração das reservas na região do pré-sal. Em função dessa incerteza, mudanças na legislação tornaram-se iminentes, obrigando a operadora responsável pelo derramamento a arcar com elevadas multas, recuperação ambiental e coleta do resíduo. A mácula oriunda da sociedade pode, no entanto, perdurar, inviabilizando o desenvolvimento de novos projetos.

O projeto será gerenciado conforme procedimento interno e específico da Engepetrol sob o número EP-703 – CONTROLE DE PROJETOS E DESENVOLVIMENTO.





Engepetrol desenvolve sistema despoluidor aquático autossustentável.

Engepetrol desenvolve sistema despoluidor aquático autossustentável.

Espaçador para Dinamômetro

Luvas de união

Disco nivelador

Válvula “PREVINE”

Lubrificador de haste polida;

Avenida Industrial Dehuel Vieira Diniz, 3695 - Distrito Industrial. - Bairro Santa Júlia
Mossoró/RN - CEP: 59623-310
Fone: +55 (84) 3316-1011 engepetrol@engepetrol.com.br
Copyright © 2012 Engepetrol. Todos os direitos reservados.